Terça, 28 de Setembro de 2021
36°

Poucas nuvens

Alto Piquiri - PR

SAÚDE Ciência

Gêmeas siamesas que nasceram unidas pela parte de trás da cabeça em Israel conseguem finalmente se ver após cirurgia

Hospital anunciou, neste domingo, que a operação durou mais de 12 horas e envolveu dezenas de especialistas, inclusive do exterior.

06/09/2021 às 04h11
Por: Redação Fonte: Reuters
Compartilhe:
(Foto: Soroka Medical Center via Reuters)
(Foto: Soroka Medical Center via Reuters)

Duas gêmeas siamesas de um ano que nasceram unidas pela parte de trás cabeça e de costas uma para outra finalmente conseguiram fazer contato visual pela primeira vez após terem passado por uma rara cirurgia de separação em Israel.

O Soroka Medical Center anunciou, neste domingo (5), que a operação durou mais de 12 horas e envolveu dezenas de especialistas de Israel e do exterior. Foram meses de preparação.

"Esta foi uma cirurgia rara e complexa que foi realizada apenas 20 vezes em todo o mundo [anteriormente] e agora, pela primeira vez, em Israel", disse Mickey Gideon, neurocirurgião pediátrico chefe do hospital, localizado na cidade de Beersheba.

Fotos na imprensa israelense mostraram as gêmeas – que não tiveram os nomes divulgados – frente a frente em um berço, com as cabeças enfaixadas. O comunicado Soroka cita que o procedimento envolveu reconstrução craniana e enxertos de couro cabeludo nas duas bebês.

Clique aqui para receber as notícias do Portal Alto Piquiri em Tempo Real através do WhatsApp

"Elas estão se recuperando bem. Estão respirando e comendo", disse Eldad Silberstein, chefe do departamento de cirurgia plástica de Soroka, ao Canal 12 de Israel.

 

No Brasil, um caso bem-sucedido de separação de siameses nos últimos anos foi o das gêmeas Mel e Lis, que também nasceram unidas pela cabeça. Em 2019, elas passaram por uma complexa cirurgia de separação em um hospital de Brasília.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias