Sexta, 22 de Outubro de 2021
20°

Poucas nuvens

Alto Piquiri - PR

BRASIL Ajuda

Veja o vídeo: Rapaz da água para tatu com sede na estrada e emociona nas redes

“Eram 5 horas da tarde, aquele sol quente, escaldante, poeira. Na hora que joguei água no chão, ele sentiu o cheiro e veio perto e nós viramos amigos

22/09/2021 às 15h10
Por: Redação Fonte: So Noticia Boa
Compartilhe:
Imagem: Reprodução/Portal Alto Piquiri
Imagem: Reprodução/Portal Alto Piquiri
O vídeo de um rapaz dando água para um tatu com sede no acostamento de uma estrada, em plena seca em Goiás, está emocionando seguidores e viralizando nas redes sociais. Foram mais de 100 mil visualizações no Instagram do Só Notícia Boa em apenas 2 horas.
O operador de restroescavadeira Nelson Cardoso, de 32 anos, voltava do trabalho de moto, sob o sol escaldante, nesta quinta, 16, quando viu o bichinho à beira da estrada, na região de Claudinápolis. Ele não aguentou e parou para ajudar.
“Ele estava lá, naquele calorão desgramado, eu tinha água na garrafa ainda e falei esse bichinho tá com sede. Foi dito e certo. A hora que eu joguei a água no chão ele veio doido”, contou Nelson Cardoso em entrevista ao Só Notícia Boa.
Nas imagens o tatuzinho toma água no chão, na mão do Nelson e chega também a ficar de pé para beber mais um pouquinho. (assista abaixo)
“Eram 5 horas da tarde, aquele sol quente, escaldante, poeira. Na hora que joguei água no chão, ele sentiu o cheiro e veio perto e nós viramos amigos… ô bichinho! Por esse ato, ele deixou encostar nele, passar a mão nele, já virou íntimo”, comemorou.
Aprendeu com o avô
Essa sabedoria de tratar bem os animais, Nelson disse que aprendeu com o avô. A família dele tem uma fazenda em Santa Bárbara de Goiás e ele foi criado no meio dos bichos.
“A gente foi criado aqui na roça com o meu avô e ele sempre mostrou pra gente como tratar as criações. Aqui na fazenda, gado, cachorro, gato tem mais prioridade que a gente, contou.
Nelson explicou porque se compadece quando vê um bichinho sofrendo:
“Um ser humano passar sede, passar fome é doído, difícil. Mas o ser humano pode pedir, usar da sua inteligência, agora a criação que não tem como expressar que está sofrendo”, lembrou.
Coisa normal
“A repercussão do vídeo até me assustou um pouco porque é uma coisa normal aqui pra minha família, a gente poder salvar, ajudar. Eu fiquei mais feliz por esse vídeo ter tido essa repercussão porque além de me alegrar, me deixar mais motivado a fazer boa ação, isso incentiva outras pessoas né?”
“[As pessoas podem pensar] Olha a repercussão que deu esse rapaz salvar o tatu. Elas podem tentar fazer o mesmo, né? Em vez de matar por prazer, poder preservar e cuidar também, poder ajudar”, analisou.
E perguntamos como o Nelson ficou depois de ter matado a sede e colocado o tatuzinho de volta na mata. O bom rapaz de Goiás surpreendeu de novo:
“Quem saiu com prazer maior dali, quem saiu salvo dali, fui eu. Não foi o tatuzinho não, porque eu saí com o prazer da missão cumprida e com o prazer de poder ter contato com ele. É muito bom. Fico muito satisfeito”, concluiu.
Nelson, a gente não te conhece pessoalmente, mas já estamos apaixonados por essa pessoa linda que você é! Que coração lindo! Obrigado por isso!
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias