Sexta, 22 de Outubro de 2021
22°

Poucas nuvens

Alto Piquiri - PR

POLÍTICA Ágili Pesquisas

82,19% dos umuaramenses dizem que não votariam em Lula, mostra pesquisa

Rejeição a Bolsonaro soma 23,89% na cidade, bem diferente dos 51% medidos nacionalmente pelo Datafolha.

27/09/2021 às 18h10
Por: Redação Fonte: OBemdito
Compartilhe:
Imagem: Reprodução OBemdito
Imagem: Reprodução OBemdito

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mantém bons níveis de aprovação entre o eleitorado de Umuarama. É o que mostra a primeira pesquisa de avaliação realizada na cidade pela Ágili Pesquisas, a pedido do OBemdito.

Classificam a administração do presidente como ótima 24,70% dos eleitores da cidade. Outros 30,36% veem a gestão como boa e 21,05% dizem que é regular. Os que avaliam como ruim somam 6,48% e péssimo, 17,41%.

Clique aqui para receber as notícias do Portal Alto Piquiri em Tempo Real através do WhatsApp

De acordo com o levantamento, os umuaramenses mais jovens, na faixa etária dos 16 aos 24 anos, e a população com curso superior, são os que mais rejeitam o presidente. Já a aprovação está melhor concentrada nas regiões mais ricas da cidade.  

A pesquisa foi realizada nos dias 15, 16 e 17 de setembro com 550 entrevistados, todos maiores de 16 anos. A margem de erro é de 5 pontos percentuais para mais ou para menos.

Os entrevistadores também perguntaram sobre a opinião do umuaramense sobre uma possível reeleição do presidente. A maioria, 59,11% se mostrou favorável, contra 36,03% de contrários. Não souberam ou não quiseram responder 4,86% dos entrevistados.

O eleitor de Umuarama nutre forte rejeição por Luiz Inácio Lula da Silva: 82,19% dos entrevistados disseram que não votariam no ex-presidente. Os que respondem sim representam 13,77%. Outros 4,05% não souberam ou não quiseram responder à pergunta.

Os índices favoráveis a Bolsonaro em Umuarama, medidos pela Ágili Pesquisas, com sede em Londrina, diverge dos números nacionais apresentados na última aferição do Datafolha. Segundo o instituto, a reprovação ao presidente subiu de 45% em maio para 51% na primeira semana de julho, taxa mais alta registrada pela empresa.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias